Guru Hub
Reserva de Emergência x Reserva de Oportunidade

Reserva de Emergência x Reserva de Oportunidade

No mercado Financeiro há diversas nomenclaturas, e com certeza já deve ter ouvido falar de Reserva de Emergência e Reserva de Oportunidade Você sabe exatamente a importância e diferenças entre elas?

O nome já é intuitivo, mas é importante anotar as principais características. Essas duas modalidades podem fazer total diferença nos seus investimentos. Saiba nesse post a diferença entre Reserva de Emergência e Reserva de Oportunidade.

Diferença entre Reserva de Emergência x Reserva de Oportunidade?

* Esse post é uma parceria entre a Guru e o App Renda Fixa! Tudo sobre seus investimentos em um único lugar! 🙂

Reserva de Emergência

Muitos dizem sobre a morte da renda fixa, principalmente pelo fato das quedas na taxa básica de juros. Mas será que realmente a renda fixa morreu?

A reserva de emergência prova que a renda fixa não morrerá tão cedo, pois nesse objetivo, é necessário priorizar por LIQUIDEZ e SEGURANÇA. A rentabilidade não é o foco no momento. Não será a reserva de emergência que alavancará seus rendimentos, e sim dará tranquilidade para seu padrão de vida não mudar por um período de tempo.

Com o objetivo de ter um futuro melhor, e poder se proteger de imprevistos, a reserva de emergência é a chave fundamental para evitar maiores problemas financeiros.

Como todos sabemos, a educação financeira no Brasil ainda é extremamente precária e os brasileiros não possuem o costume de poupar. Muitos, inclusive, gastam mais do que ganham, somando dívidas e mais dívidas.

Nunca é tarde para começar!

A mensagem que eu quero passar pra você, é a seguinte: NUNCA É TARDE PARA COMEÇAR! Não importa sua idade, sempre há tempo para iniciar, ainda mais falando de investimentos. Não tem desculpas para não começar agora, têm títulos que permitem aportes iniciais a partir de R$1,00. Ainda, eles têm a possibilidade de resgatar esse valor quando bem entender (liquidez diária).

Por conta disso, a renda fixa continua sendo a opção ideal, pois existem títulos com extrema liquidez (permitem o resgate do capital a qualquer momento) e Segurança (Títulos com garantia do FGC ou do Tesouro Nacional).

Quanto poupar para consolidar a Reserva de Emergência?

O ideal para ter uma reserva consolidada é um valor de 6 a 12 meses do custo de vida mensal da pessoa.

Vamos supor que o gasto mensal de sua família seja em média R$1.500,00. Para consolidar esse objetivo, é preciso ter entre R$9.000,00 – R$18.000,00 (1500 multiplicado por 6 ou por 12). Isso trará uma segurança financeira maior para você e sua família em um possível desemprego por exemplo, pois tem a possibilidade manter o padrão de vida por pelo menos 6 meses. Isso caso a pessoa acumule R$9.000,00 ou até mesmo de 12 meses, se alcançar o valor de R$18.000,00.

É importante ressaltar que não é preciso alocar todo capital de uma vez. Como mencionei acima, é possível investir aos poucos, alguns títulos privados permitem aportes de R$1,00.

Por outro lado, quanto antes começar, mais rápida será a conquista do objetivo.

Reserva de Oportunidade

Muitos confundem reserva de oportunidade com reserva de emergência, e imaginam que é o mesmo objetivo, mas não, são para objetivos totalmente diferentes.

Enquanto a reserva de emergência busca um futuro mais tranquilo, com a possibilidade de “prever” imprevistos, a reserva de oportunidade, como o próprio nome diz, busca OPORTUNIDADES no mercado, com a intenção de conseguir maiores retornos.

Como identificar as oportunidades? Para que serve a reserva de oportunidade?

O acontecimento mais recente no mercado financeiro, foi no mês de março de 2020, quando o COVID-19 afetou diretamente a bolsa de valores no Brasil (Ibovespa), e começou no mercado o “corona week”. Foi uma onda de Circuit Breakers, fazendo o índice despencar dos quase 120 mil pontos, para a casa dos 63 mil pontos.

Nesse receio e temor dos investidores, por conta das incertezas do novo vírus, a bolsa despencou, causando um risco sistemático. Ou seja, nenhuma ação teve um retorno positivo, todas foram impactadas de alguma maneira

Desta forma, entra em ação a famosa “Reserva de Oportunidade”. Quem teve emocional e dinheiro no caixa, conseguiu aproveitar ótimas oportunidades, ainda mais no mercado acionário, onde o índice Bovespa já retornou para a casa dos 100 mil pontos.

Nem toda Reserva de Oportunidade precisa ser utilizada na bolsa de valores, muito pelo contrário, pode ser usada para qualquer oportunidade. Já pensou em adquirir um imóvel em um preço muito abaixo do mercado?

Isso também pode acontecer em determinadas crises. Assim, o ideal é que todos tenham um bom caixa, e que utilizem no momento correto, acarretando bons negócios.

Qual o valor da reserva de oportunidade?

Diferente da Reserva de Emergência, onde o ideal é de 6 a 12 meses do custo de vida mensal da pessoa, nessa reserva não tem um valor preciso.

Você pode até pensar que é perda de tempo ficar com uma parcela do patrimônio em “Caixa” ao invés de investi-lo e conseguir maiores retornos. Porém, nada mais, nada menos que Warren Buffett, prova que NÃO!

Segundo Buffett, há qualquer momento teremos crises, pois os mercados são cíclicos, ocasionando queda nos preços das ações, infelizmente não temos como saber quando será a próxima, mas com certeza, teremos outras crises ao passar do tempo. E para aproveitar essa crise, Buffet diz que no caixa de sua companhia “Berkshire Hathaway” está algo em torno de US$ 22 bilhões.

Portanto em uma determinada crise, tem as pessoas que choram, e algumas que vendem o lenço. Caso você tenha uma reserva de oportunidade boa, pode ser você o vendedor de lenço, e obter uma performance muito positiva, mesmo em momentos conturbados.

Onde investir ambas reservas?

Tanto a Reserva de Emergência quanto a Reserva de Oportunidade precisam estar alocadas em investimentos líquidos. Ou seja, são reservas que podem ser resgatadas a qualquer momento, pois nunca sabemos quando pode acontecer um imprevisto ou alguma oportunidade.

Além de líquidos, esses títulos precisam oferecer alta segurança, sem aquele risco de volatilidade, e as principais opções estão em Renda Fixa.

Ao invés de colocar apenas uma opção, vou disponibilizar três opções de investimentos ideais para ambos objetivos.

Fundos DI

Também denominados Fundos de Renda Fixa Referenciados DI, esses fundos são os mais indicados para reserva de emergência, por serem de caráter totalmente conservador. Os Fundos DI aplicam 95% do patrimônio em títulos públicos federais do Tesouro Direto ou em títulos privados de baixo risco.

Esses costumam oferecer rentabilidade próxima do CDI. O ponto positivo nesses fundos, é que o valor mínimo costuma ser muito baixo, a partir de R$100,00 você já pode iniciar nessa modalidade, e o resgate também costuma ser imediato, ou seja, assim que solicitar o resgate, o capital pode voltar a sua conta no mesmo dia.

CDB (Certificado de Depósito Bancário)

O CDB costuma ser o queridinho dos títulos privados, por conta da garantia e da variedade de produtos oferecidos pelas instituições financeiras, mas atente-se aos CDBs com liquidez diária.

Diferente do Tesouro Selic, onde o empréstimo é para o próprio Governo, no CDB, o empréstimo é diretamente para um Banco. Assim, as garantias dos investimentos são diferentes.

Por outro lado, mesmo as garantias sendo distintas, há uma enorme segurança ao investir em um CDB. Isso ocorre o Fundo Garantidor de Crédito (FGC) assegura em até R$250.000,00 por instituição, limitada a quatro.

Dessa forma, em caso de falência da instituição financeira na qual investiu o seu capital, o valor costuma ser devolvido em semanas.

Tesouro Selic

O Tesouro Selic é um título da dívida pública negociado pelo programa Tesouro Direto e emitido pelo governo.

Esse título é extremamente conhecido no mercado financeiro, e costuma ser a porta de entrada para investimentos conservadores, além da liquidez diária (D+1),=. Ou seja, você solicita o resgate, e no dia seguinte o valor é estornado para sua conta. É considerado o título mais seguro do país, pois é garantido pelo Tesouro Nacional.

Basicamente você empresta um valor em dinheiro para que o governo financie suas atividades, e recebe do mesmo, o valor acrescido de juros, que no caso é 100% da Taxa Selic.

Conclusões

Para construir tanto a reserva de emergência, como a de oportunidade, é preciso foco e disciplina. É difícil ver aquele título rendendo mais no longo prazo, porém é ainda mais arriscado não concluir seus objetivos de curto prazo.

Diversificar os investimentos é essencial para todos investidores, pois permite obter maiores retornos, com um risco controlado. Além disso, permite a preparação para imprevistos, crises e oportunidades, tornando o investidor ainda mais completo.

Comece aos poucos, não é preciso alocar um montante alto de uma vez. Você pode investir todos os meses, uma quantia muito menor do que imagina, e tenha foco nos objetivos.

Bons investimentos!

🏆➜ Avalie nosso conteúdo:

Média da classificação 4.9 / 5. Número de votos: 17

Seja o primeiro a avaliar!

Guru

Um Guru no mercado financeiro é aquele que sempre quer aprender a investir melhor...

Guru APP