Guru Hub
Investimento em cripto: Bitcoin, Hash11 e fundos de criptomoedas

Investimento em cripto: Corretora, Hash11, fundos de criptomoedas e mais

Conheça as formas disponíveis para investir em moedas digitais

#descomplicaguru

As criptomoedas tem surpreendido nos últimos com a sua forte valorização representando um mercado de mais de 10 trilhões. Mas ainda assim muito investidores conservadores não aderiram as criptos e continuam a ficar de fora.

E se as criptomoedas fossem a moeda vigente de cada pais? Que nem aconteceu recentemente em El Salvador e a população não ficou tão entusiasmada. Talvez sobre a falta de informação sobre a segurança que as criptomoedas trazem.

E é neste mercado emergente que sobram oportunidades para os investidores, hoje em dia existem ETFs e até fundos de criptomoedas disponíveis para investir nas principais corretoras, além do investimento na moeda por conta própria, como um mercado de ações.

Por isso preparamos este conteúdo para mostrar as diferenças entre cada uma destas formas de se investir em criptomoedas para você acompanhar mais em baixo.

Resumo da história do Bitcoin e das criptomoedas

Bitcoin foi a primeira criptomoeda a registrar com sucesso transações em uma rede segura e descentralizada “baseada em blockchain”. Lançado no início de 2009 por seu pseudônimo criador “Satoshi Nakamoto”, o Bitcoin é a maior criptomoeda medida por capitalização de mercado e quantidade de dados armazenados em seu blockchain, tendo em 2020 valorizado mais de 400%.

Depois disso tivemos um boom no mercado com varias criptomoedas sendo criadas a cada dia. A agregadora de dados CoinMarketCap adicionou 2.655 novos criptoativos para sua base de dados em 2021, totalizando 10.810 moedas listadas.

Como investir em criptomoedas?

Existem pelo menos cinco maneiras de investir em criptomoedas: corretora convencional, fundo de investimento, bolsa de valores, p2p e exchanges descentralizadas. 

Exchange

Na corretora, o investidor pode ter acesso a um portfólio amplo de ativos, e tem a opção de definir manualmente o tamanho do aporte. Em geral, o interessado só precisa de um celular e a identidade na mão para baixar o aplicativo, completar a verificação e começar a adquirir seus primeiros bitcoins. Hoje, quase todas as exchanges também permitem fazer depósitos via Pix, que funciona 24 horas por dia, assim como o mercado de criptomoedas.

Os ativos adquiridos ficam custodiados, em princípio, na própria exchange, mas é possível transferi-los para qualquer lugar mediante o pagamento de uma taxa, que costuma variar segundo a criptomoeda e a corretora –então, é importante pesquisar caso a caso.

Prós

  • Variedade de criptomoedas à disposição,
  • Possibilidade de custódia própria,
  • Disponível 24 horas por dia,
  • Sem limite mínimo de investimento

Contras

  • Investidor precisa saber o que comprar e como guardar se optar por sacar
  • Risco maior

Fundos de Criptomoedas

Os fundos de criptomoedas funcionam do mesmo modo que um fundo de investimento tradicional, tendo um administrador ou empresa administradora credenciado pela CVM, responsável por cuidar do fundo. Dentre suas atividades aponta-se o cálculo e a divulgação do preço das cotas, e a preparação dos informativos para os cotistas.

Os fundos de criptomoedas também contam com gestores credenciados junto a CVM responsável por aportar capital dos cotistas limitada às regras e estratégias propostas pelo fundo.

Prós

  • Os fundos são alternativas de menor risco oferecidos por gestores que controlam as aplicações e estudam os mercados diariamente. No entanto, para que o investidor tenha maior vantagem ao investir em fundos, é aconselhável o estudar as opções disponíveis. Avalie a estratégia e objetivos dos fundos, as informações da lâmina e a forma de gestão. Com isso, você pode encontrar as melhores oportunidades para o seu portfólio.
  • Carteira variada via índice ou gestão ativa
  • Segurança na custódia

Contras

  • Taxas de administração e/ou de performance
  • Sem acesso aos criptoativos subjacentes
  • Aporte mínimo pode ser impeditivo

Bolsa de Valores: fundo de índice (ETF) – HASH11

O HASH11, é um ETF de criptomoeda e se tornou uma alternativa para pequenos investidores interessados em criptomoedas, que podem acessá-lo em qualquer homebroker, pela internet.

Os ETFs são fundos negociados em bolsa que acompanham um índice. O produto rastreia o índice Nasdaq Crypto Index (NCI), desenvolvido pela Nasdaq, bolsa de valores nos Estados Unidos, e pela Hashdex. O ETF atualmente é composto por seis criptomoedas: bitcoin, ethereum, stellar, litecoin, bitcoin cash e chainlink. É preciso destacar que, da mesma forma como acontece com outros índices, periodicamente acontece um processo de análise dos ativos e rebalanceamento da composição da carteira teórica. 

O ETF de criptomoedas estreou na Bolsa de Valores do Brasil no dia 26 de abril de 2021, de forma que em seu IPO, foram levantados R$600 milhões. Com esse sucesso, rapidamente o ativo entrou na lista dos investimentos mais procurados por investidores.

Prós

1- Regulação da CVM e segurança

A segurança é sempre um ponto a ser levantado quando o assunto são criptomoedas. Algumas corretoras especializadas nessas moedas (Exchanges) não facilitam o processo e também a pouca regulamentação para esse investimento.

Ao investir em HASH11 você passa a contar com toda a segurança da Bolsa de Valores do Brasil e regulação da CVM e Anbima, instituições responsáveis por garantir a segurança do nosso mercado de ações. Dessa forma, você evita o risco de cair em armadilhas e pirâmides.

2- Diversificação da carteira

A possibilidade de diversificar seus investimentos com criptomoedas é uma das principais vantagens do HASH11. Contar com ativos diferentes em sua carteira é uma das estratégias mais eficientes, principalmente para quem busca a construção de patrimônio e investimentos de longo prazo. 

Além disso, contar com um ETF de criptomoedas é uma boa solução para não depender do desempenho de apenas uma moeda. No caso do HASH11, o resultado acontece de acordo com as moedas do índice.

Sempre que falamos em diversificação de investimentos, precisamos lembrar a importância desse processo. Ainda mais quando falamos sobre moedas digitais, um mercado ainda tão pouco regulado, a diversificação é fundamental para realizar o gerenciamento de risco. 

3- Tributação do HASH11

Realizar a declaração do rendimento de criptomoedas é sempre algo complexo e que gera dúvidas em boa parte dos investidores. Afinal, geralmente, é preciso contar com dados confusos das Exchages, o que complica ainda mais todo o processo. 

Já para os investimentos em ETFs, esse processo é muito simples e rápido. Como você investe por meio da corretora de valores, os dados para declaração chegam da mesma forma que investimentos em ações.

4- Liquidez

Por ser negociado na bolsa, o ETF de criptomoedas terá uma liquidez maior, facilitando a compra e venda das cotas.

Contras 

  • Taxa de administração
  • sem acesso aos criptoativos subjacentes

Peer-to-peer (p2p)

A modalidade p2p é uma negociação direta entre duas pessoas e, por isso, requer cautela a mais. Entre as vantagens está, por exemplo, a agilidade para receber as criptomoedas adquiridas após o envio do dinheiro, já que não é preciso criar uma ordem de compra, como nas exchanges.

Por outro lado, diversificar o investimento requer múltiplas operações, e é preciso saber como fazer a custódia. Entram em cena, portanto, complicadores, como conhecimento sobre diferentes tipos de carteiras, das digitais, no celular, às físicas, como as fabricadas pela Ledger. Além disso, é preciso ter em conta que, apesar da negociação individual, as leis brasileiras continuam exigindo que o comprador realize um cadastro.

Existem negociantes p2p independentes e aqueles que atuam em plataformas ligadas a corretoras. A LocalBitcoins e a Paxful são especializadas neste segmento. A Binance e outras estrangeiras, como a OKEx, também oferecem seção dedicada ao p2p.

Prós

  • Compra e venda com agilidade,
  • Negociação de preço,
  • Aporte mínimo flexível

Contras

  • Maior cautela na pesquisa de negociantes,
  • Custódia própria

Exchanges descentralizadas

No centro do sucesso do que se entende por finanças descentralizadas (DeFi), as exchanges descentralizadas (DEX) são sistemas autônomos que usam contratos inteligentes para intermediar negociações entre indivíduos. Os benefícios envolvem privacidade total e acesso a uma ampla oferta de criptoativos para escolher, incluindo aqueles mais novos e com maiores chances de passarem por explosão de valorização.

No entanto, essa modalidade requer cuidado triplicado: projetos podem ser hackeados ou o criador pode simplesmente aplicar um golpe nos usuários e, ainda por cima, o investidor pode perder o próprio dinheiro ao fazer uma operação sem o cuidado devido. Além disso, as taxas costumam ser maiores do que em exchanges convencionais. Esses são, no entanto, preços pelos quais os entusiastas da descentralização podem estar dispostos a pagar.

Prós

  • Ampla oferta de criptomoedas,
  • Total privacidade,
  • Sem exigência mínima de investimento

Contras

  • Ambiente não regulado no Brasil,
  • Exige conhecimento mais profundo,
  • Oferece alto risco de ataques hackers e golpes

Cotações das principais criptomoedas em tempo real

Com o App da Guru é possível investir em ações, FIIs, ETFs e acompanhar todos os seus investimentos em tempo real, facilitando muito o dia a dia do investidor. Além disso temos uma área exclusiva de cripto que não para de crescer. Quem sabe em breve estaremos com a função de poder investir por lá em dois cliques, assim como já é possível no mercado de ações.

Além das facilidades, você irá receber conteúdos diversos sobre o mercado financeiro, com o intuito de transformá-lo num Guru investidor.

🏆➜ Avalie nosso conteúdo:

Média da classificação 5 / 5. Número de votos: 10

Seja o primeiro a avaliar!

Guru

Um Guru no mercado financeiro é aquele que sempre quer aprender a investir melhor...

Guru APP