Guru Hub
Fundo de ações: O que é, como funciona e como investir?

Fundo de ações: O que é, como funciona e como investir?

Nos últimos anos, os fundos de ações estão ganhando visibilidade no Brasil como uma boa oportunidade para pequenos investidores, que podem acessar o mercado de ações de maneira mais prática e dinâmica.

Os fundos de ações são uma estratégia ideal para quem quer ter um retorno potencial mais elevado, mas não possui tempo disponível para acompanhar as oscilações do mercado financeiro de ações.

O que é um Fundo de ações?

O Fundo de ações é um fundo constituído por meio de um condomínio de cotistas. Seu objetivo é o de investir em papéis de empresas na bolsa de valores.

Ao contratar um Fundo de ações, seus recursos serão administrados por gestores financeiros experientes que saberão fazer as melhores escolhas através de um processo bem definido e estruturado.

São investimentos de renda variável, de longo prazo, que envolve a variação de preços de ações disponíveis para a negociação no mercado organizado. Por isso, o investidor deverá ter paciência para alcançar os resultados desejados e não se assustar com as oscilações de mercado, uma vez que seus investimentos estarão sendo conduzidos por profissionais experientes.

Leia também:

Como funciona um Fundo de ações?

Os fundos de ações são mais indicados para objetivos de investimento de longo prazo e para investidores dispostos a suportarem riscos maiores, em troca de uma expectativa de rentabilidade mais elevada.

Basicamente, o fundo de ações funciona da seguinte forma:

  • O investidor compra uma cota do fundo;
  • O valor é somado aos valores das demais cotas;
  • O montante total é aplicado em lotes de ações, de acordo com a estratégia adotada pelo gestor.

Os fundos de ações são práticos uma vez que não requerem o acompanhamento constante ou conhecimentos específicos do mercado financeiro por parte do investidor. Uma alternativa segura para aumentar a rentabilidade das aplicações e diversificar sua carteira de investimentos.

Como investir num Fundo de ações?

Em primeiro lugar você deverá abrir uma conta em uma corretora ou banco de investimentos. O segundo passo será a assistência profissional de um especialista para escolher um fundo específico que atenda ao seu perfil de risco e a suas necessidades de liquidez. Essa assessoria é importante porque cada fundo de ações possui uma estratégia diferente (dividendos, indexado, livre, small caps, etc).

Tipos de fundos de ações

Existem diferentes tipos de fundos de ações dependendo do seu perfil de risco e de seus ativos de preferência.

De acordo com a Anbima, quaisquer fundos de ações têm pelo menos 67% da carteira em ações à vista, certificados de depósito de ações, bônus ou recibos de subscrição, cotas dos fundos de índice de ações, cotas de fundos de ações e Brazilian Depositary Receipts.

Conheça cada tipo de fundo de ações

Ativos

Os fundos ativos podem buscar superar um índice de referência ou não fazer menção a índices de performance. A seleção para compor a carteira deve ser executada de acordo com um processo de investimento predefinido que busca atingir os objetivos e executar a política do fundo.

O saldo em caixa deve ser aplicado em cotas de fundos de renda fixa, de duração baixa, grau de investimento ou em ativos permitidos nas regras da Anbima.

Livre

Os fundos de ações livre não possuem compromisso de concentração em uma estratégia específica. O saldo em caixa pode ser aplicado em qualquer ativo ou quaisquer ativos, mas é preciso especificá-los no regulamento, ao qual o investidor tem acesso antes de tomar sua decisão.

Setoriais

Os fundos setoriais aplicam em empresas pertencentes a um setor ou conjunto de setores afins da economia.

Esses fundos devem deixar bem claros os critérios utilizados para as definições dos setores, sub-setores ou segmentos elegíveis. Assim, o investidor tem uma ideia dos papéis em que estará colocando o seu dinheiro.

Índice Ativo

Fundos que têm como objetivo superar o índice de referência do mercado acionário. Estes fundos se utilizam de deslocamentos táticos em relação à carteira de referência para atingir seu objetivo.

Small caps

Os fundos de small caps concentram seus investimentos em companhias menores, com baixa capitalização de mercado e um potencial de ganho (ou perda) maior.

O restante do valor das cotas (15%) pode se destinar a ações mais negociadas, desde que não estejam entre as dez maiores participações do IBrX 100 (índice das 100 prinicipais ações com maior negociabilidade).

Sustentabilidade/Governança

Fundos que têm como objetivo investir em empresas que apresentam bons níveis de governança corporativa, ou que se destacam em responsabilidade social e sustentabilidade empresarial no longo prazo.

Dividendos

Como o nome já diz, os fundos de dividendos aplicam em papéis de empresas com histórico de dividend yield (renda gerada por dividendos) consistente ou que, conforme as perspectivas do gestor, tenham essa tendência.

Valor/Crescimento

Fundos que têm como objetivo buscar retorno por meio da escolha e seleção de empresas cujo valor das ações negociadas esteja abaixo do “preço justo” estimado (estratégia valor) e/ou aquelas com histórico e/ou perspectiva de continuar com forte crescimento de lucros, receitas e fluxos de caixa em relação ao mercado (estratégia de crescimento).

Indexados

Os fundos indexados replicam indicadores de referência do mercado de renda variável, como o Índice Bovespa (Ibovespa). Os recursos remanescentes em caixa devem estar investidos em cotas de fundos de renda fixa, de baixa duração, grau de investimento ou ativos permitidos pelas regras da Anbima.

Índices

Fundos que têm como objetivo acompanhar as variações de indicadores de referência do mercado de ações, não admitindo qualquer tipo de alavancagem.

Específicos

Fundos que têm como objetivo adotar estratégias de investimentos que possuam características específicas, tais como, Fundo de condomínio fechado, Fundos não regulamentados pela Instrução nº 555 da CVM ou Fundos que adotam outras estratégias que venham a surgir.

Fundos de Ações FMP-FGTS

Fundos que devem seguir a regulamentação vigente.

Fundo Fechados de Ações

Fundos de condomínio fechado, nos termos da regulamentação da CVM.

Mono Ação

Fundos com estratégias de investimento em ações de apenas uma empresa.

É melhor investir em fundos de ações ou diretamente em ações?

Os fundos de ações podem ser boas escolhas de quando se objetiva diversificação de portfólio, podendo ter uma exposição a inúmeros ativos, atendendo aos requisitos de concentração estabelecidos na regulamentação.

Nos fundos de ações, essa diversificação é uma vantagem, pois um cotista pode ter exposição a uma carteira maior de ações, com o conhecimento de um gestor profissional.

Por outro lado, se você investe diretamente em ações, tem uma autonomia maior e fica com o peso total das decisões no momento de compra e/ou venda de cada papel. Isso também pode ter fator exponencial de rendimento caso acerte as premissas do mercado.

IR sobre os fundos de ações

Enquanto no mercado à vista a apuração do Imposto de Renda é mensal, nos fundos de ações ela ocorre apenas no resgate (retido na fonte), com alíquota de 15% sobre os rendimentos, não havendo cobrança de IOF em nenhum dos casos.

Para quem investe direto no mercado de ações, há outros custos, como as taxas de corretagem, emolumentos da bolsa e as taxas de custódia, que nem sempre são repassadas para o investidor.

Conheça o App que te ajuda a organizar os seus investimentos

Baixe o App Guru e acompanhe os seus investimentos em tempo real. Guru é simples, intuitivo e de graça! Insira seus ativos e acompanhe a performance da sua carteira em tempo real e receba inisghts e conteúdos valiosos para sua trajetória de se tornar um investidor Guru.

🏆➜ Avalie nosso conteúdo:

Média da classificação 5 / 5. Número de votos: 20

Seja o primeiro a avaliar!

Guru

Um Guru no mercado financeiro é aquele que sempre quer aprender a investir melhor...

Guru APP