Guru Hub
IPCA, IGP-M e Inflação: o que são e quais as diferenças entre eles?

IPCA, IGP-M e Inflação: o que são e quais as diferenças entre eles?

Muitas pessoas não sabem exatamente a diferença entre IPCA, IGM-M, Inflação e nós da Guru resolvemos criar essa matéria para mostrar os conceitos e evidenciar onde cada um atua no seu bolso.

Pra começar:

IPCA e IGP-M são dois índices que refletem a inflação ao medir a oscilação de valores de serviços e produtos consumidos pela população comparando o custo de vida frente essas mudanças. Apesar da semelhança cada um destes indicadores refletem a oscilação do preço de uma gama de produtos e serviços diferentes.

Estes fatores que diferenciam um do outro e é o que vamos explicar aqui:

O que é IPCA?

IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo), é um índice que mede a inflação. Ele é calculado todos os meses pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). O objetivo do IPCA é medir a variação de preços no mercado.

O IPCA mede um conjunto de produtos e serviços comercializados no varejo, referentes ao consumo pessoal das famílias. Dentre eles estão:

  • Transportes
  • Despesas pessoais
  • Saúde e cuidados pessoais
  • Comunicação
  • Educação
  • Alimentação e bebidas
  • Artigos de residência
  • Habitação
  • Vestuário

A população-objetivo do IPCA abrange as famílias com rendimentos de 1 a 40 salários mínimos, qualquer que seja a fonte, residentes nas áreas urbanas das regiões de abrangência do SNIPC, as quais são: regiões metropolitanas de Belém, Fortaleza, Recife, Salvador, Belo Horizonte, Vitória, Rio de Janeiro, São Paulo, Curitiba, Porto Alegre, além do Distrito Federal e dos municípios de Goiânia, Campo Grande, Rio Branco, São Luís e Aracaju.

É através do IPCA que ocorre a verificação se as metas de inflação foram alcançadas pelo Governo Federal, que são estabelecidas pelo CMN (Conselho Monetário Nacional).

É através do resultado do IPCA que podemos distinguir a diminuição, elevação ou manutenção da taxa de juros no Brasil, que é a Selic.

Além disso, ele também é responsável pelo reajuste dos salários mínimos anualmente.

Como o IPCA afeta os investimentos?

Para que o investidor tenha sucesso, ele precisará ter estratégias para que a sua rentabilidade seja no mínimo superior à inflação no período do investimento.

Alguns investimentos estão atrelados à Selic, o que significa que quanto maior for a inflação, maior será a Selic. Isso acontece devido ao Governo realizar o aumento dos juros para tentar frear a alta dos preços. Quando ocorrem essas oscilações na inflação, os investimentos que estão atrelados à Selic sofrem grandes mudanças.

Se o título estiver atrelado ao IPCA, no caso do Tesouro IPCA+, ocorrendo um período de alta inflação, este título terá alta em sua rentabilidade.

O IPCA é muito importante para determinar as oscilações da inflação e tem influência na vida do investidor, mas também na vida do consumidor. Se o IPCA sobe, os investidores e consumidores precisarão de mais dinheiro para manter seus padrões de vida.

O que é IGP-M?

Talvez o índice seja mais conhecido para quem aluga um imóvel. Os aluguéis são corrigidos anualmente através desse indexador.

O IGP-M (Índice Geral de Preços do Mercado) é um indicador econômico, responsável por medir a inflação e as atividades econômicas do país. Ele abrange também por exemplo:

  • Matérias-primas industriais
  • Matérias-primas agrícolas
  • Serviços finais,
  • Também alguns bens
  • Fornecimento de energia
  • Planos de saúde
  • Mensalidades de escolas

As instituições repassam aos consumidores os preços com base no IGP-M do ano anterior.

Os cálculos do IGP-M são considerados de suma importância, pois neles são analisados os principais setores da economia. Ou seja, trata-se de um índice bem amplo, que representa o mais próximo possível da realidade do mercado.

Como o IGP-M afeta os investimentos?

Quando ocorre o aumento do IGP-M, normalmente significa que o rendimento do investidor valerá um pouco menos.

Leia também ✔️  Inflação: Mercado Financeiro eleva a projeção para 7,27% este ano

Para os investimentos em FIIs (Fundos Imobiliários), a alta do IGP-M pode alavancar os retornos deste investimento, assim, distribuindo dividendos maiores para os investidores. Mas, os investidores precisam analisar o cenário macroeconômico, um evento como a pandemia por exemplo, pode impactar negativamente os ganhos.

Como é calculado o IGP-M?

O IGP-M é calculado com base em três índices. São eles:

  • IPA (Índices de Preços por Atacado) 60% – este índice observa a indústria atacadista e faz previsões de como os preços no varejo serão impactados.
  • IPC (Índice de Preços ao Consumidor) 30% – este índice irá observar como será o comportamento dos preços em áreas que causam impactos nas compras dos consumidores, como a saúde, educação, alimentação, habitação etc.
  • INCC (Índice Nacional de Custo de Construção) 10% – este índice irá apurar os custos para a construção, materiais e mão de obra relacionados às habitações no Brasil.

É a partir destes três índices que o FGV irá realizar o cálculo mensalmente, que indicará quais as variações de cada preço, resultando no índice final.

O que é Inflação?

A inflação é utilizada na economia para determinar quando acontece o aumento dos preços dos serviços e produtos, ou seja, determina a desvalorização do dinheiro.

Quando acontece esse aumento nos preços, isso determinará o custo de vida da população. A inflação implica que as pessoas mudem seus estilos de vida.

Duas possibilidades pode acontecer com o aumento ou diminuição dos preços. Quando a procura por um serviço ou produto é maior do que a acessibilidade dele, o preço sobe. Quando a oferta é maior do que a procura, o preço possivelmente cairá.

O preço da matéria-prima também pode causar inflação, pois esses custos são repassados para o consumidor. Um exemplo são os produtos que precisam de algum ingrediente importado, podem ficar mais caros com a alta do dólar.

Diferenças entre IPCA e IGP-M

Mesmo tendo a mesma função de medir a inflação, a análise feita por cada índice possui métodos diferentes e tem influência direta da alta do dólar. Assim como o IGP-M, o IPCA tem por objetivo mensurar os aumentos dos preços dentro de um período específico. Entretanto, os dois indicadores se diferem em relação à cobertura. O IPCA analisa somente os preços cobrados para o consumidor. Já o IGP-M, leva em consideração também os preços do atacado e os custos de construção. Mas os dois costumam se aproximar bastante. 

O IPCA mede apenas o produto final, fazendo com que o dólar incide apenas nesse momento.

O IGP-M considera a variação de preço que ocorre durante as etapas de produção dos produtos tendo maior sensibilidade a mudanças macroeconômicas, como aumento do dólar ou uma crise no mercado imobiliário pois é composto por três categorias diferentes (relacionadas ao produtor, ao consumidor e ao setor de construção civil).

Além da abrangência, os dois indicadores se diferem em relação aos responsáveis por fazer os seus cálculos. Desse modo, o IPCA é calculado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), enquanto o IGP-M é mensurado pela Fundação Getúlio Vargas (FGV)

Não existe um índice melhor do que outro. Algumas pessoas preferem o IGP-M, por ser mais abrangente, proporcionando uma visão melhor da realidade do mercado. Em contrapartida, o IPCA é usado como indexador dos títulos públicos e na meta de inflação do Banco Central

A desvalorização do real e aumento do dólar influenciam diretamente a distancia entre estes indicadores.

Fique atento no Hub

No Guru Hub você irá receber conteúdos relevantes sobre o mercado financeiro, dicas e curiosidades sobre o mundo dos investimentos.

🏆➜ Avalie nosso conteúdo:

Média da classificação 5 / 5. Número de votos: 4

Seja o primeiro a avaliar!

Guru

Um Guru no mercado financeiro é aquele que sempre quer aprender a investir melhor...

Guru APP